Afinal, o que saber sobre Endometriose?

Afinal, o que saber sobre Endometriose?

O nome já não é tão desconhecido assim. Muitas mulheres conhecem, e temem, esta tal endometriose. Mas do que estamos falando?

Endometriose é uma doença caracterizada pela presença do endométrio – tecido que reveste o interior do útero – fora da cavidade do útero, ou seja, em outros órgãos da pelve: trompas, ovários, intestinos e bexiga. Qualquer órgão da região pode ser afetado.

Todos os meses, o endométrio fica mais grosso na expectativa de receber um óvulo fecundado para se implantar nele; se não há gestação, ele descama no fim do ciclo e é expelido naturalmente na menstruação. 

Uma das explicações para o aparecimento da Endometriose é que um pouco desse sangue migra no sentido oposto e cai nos ovários ou na cavidade abdominal, causando o que se conhece como lesão endometriótica. Explicar todas as causas desse comportamento, no entanto, ainda é um desafio para a ciência, mas é sabido que há um risco maior de desenvolver endometriose em casos genéticos, isto é, se mães, irmãs, tias ou avós de uma mesma família apresentarem o quadro.

Com relação à faixa etária de risco, a Endometriose pode se manifestar desde a primeira menstruação até a última, ou seja, é imprescindível estar com a saúde em dia, frequentemente cuidada e sempre alerta aos sinais que possam aparecer – dores no período menstrual, períodos de cólicas de longa durabilidade, diarréia, dores para urinar etc. Geralmente, pacientes em torno dos 30 anos buscam por tratamento para a doença, o que não deixa as demais idades fora de risco.

De acordo com a Associação Brasileira de Endometriose, entre 10% e 15% de mulheres em idade reprodutiva – média de 13 a 45 anos, podem desenvolver a Endometriose; dessas,  30%  têm chances de ficarem estéreis. O principal fator de infertilidade causado pela endometriose é o tubário, no qual as tubas uterinas ficam danificadas por um processo inflamatório crônico da doença, o que pode resultar na obstrução das tubas uterinas e na redução da sua mobilidade. Isso dificulta ou até mesmo impede o transporte do óvulo e espermatozoides e, consequentemente, a fecundação.

Outros motivos pelos quais a Endometriose pode surgir são mulheres começarem a menstruar muito cedo, terem ciclos menstruais muito frequentes, nunca terem tido filhos ou mesmo anormalidades no útero. Portanto, garanta sua visita ao médico regularmente, faça os exames quando necessário e cuide-se! Todo cuidado começa por você mesma!